Arquivos
 08/03/2009 a 14/03/2009
 01/03/2009 a 07/03/2009
 15/02/2009 a 21/02/2009
 01/02/2009 a 07/02/2009
 18/01/2009 a 24/01/2009
 04/01/2009 a 10/01/2009
 28/12/2008 a 03/01/2009
 21/12/2008 a 27/12/2008
 14/12/2008 a 20/12/2008
 07/12/2008 a 13/12/2008
 30/11/2008 a 06/12/2008
 23/11/2008 a 29/11/2008
 16/11/2008 a 22/11/2008
 09/11/2008 a 15/11/2008
 02/11/2008 a 08/11/2008
 26/10/2008 a 01/11/2008
 12/10/2008 a 18/10/2008
 05/10/2008 a 11/10/2008
 28/09/2008 a 04/10/2008
 21/09/2008 a 27/09/2008
 14/09/2008 a 20/09/2008
 07/09/2008 a 13/09/2008
 31/08/2008 a 06/09/2008
 24/08/2008 a 30/08/2008
 17/08/2008 a 23/08/2008
 03/08/2008 a 09/08/2008
 27/07/2008 a 02/08/2008
 20/07/2008 a 26/07/2008
 13/07/2008 a 19/07/2008
 06/07/2008 a 12/07/2008
 29/06/2008 a 05/07/2008
 22/06/2008 a 28/06/2008
 15/06/2008 a 21/06/2008
 08/06/2008 a 14/06/2008
 01/06/2008 a 07/06/2008
 25/05/2008 a 31/05/2008
 18/05/2008 a 24/05/2008
 11/05/2008 a 17/05/2008
 04/05/2008 a 10/05/2008
 27/04/2008 a 03/05/2008
 20/04/2008 a 26/04/2008
 13/04/2008 a 19/04/2008
 06/04/2008 a 12/04/2008
 30/03/2008 a 05/04/2008
 23/03/2008 a 29/03/2008
 16/03/2008 a 22/03/2008
 09/03/2008 a 15/03/2008
 02/03/2008 a 08/03/2008
 24/02/2008 a 01/03/2008
 17/02/2008 a 23/02/2008
 10/02/2008 a 16/02/2008
 03/02/2008 a 09/02/2008
 27/01/2008 a 02/02/2008
 20/01/2008 a 26/01/2008
 13/01/2008 a 19/01/2008
 06/01/2008 a 12/01/2008
 30/12/2007 a 05/01/2008
 23/12/2007 a 29/12/2007
 16/12/2007 a 22/12/2007
 09/12/2007 a 15/12/2007
 02/12/2007 a 08/12/2007
 25/11/2007 a 01/12/2007
 18/11/2007 a 24/11/2007
 11/11/2007 a 17/11/2007
 04/11/2007 a 10/11/2007
 21/10/2007 a 27/10/2007
 14/10/2007 a 20/10/2007
 07/10/2007 a 13/10/2007
 30/09/2007 a 06/10/2007
 23/09/2007 a 29/09/2007
 16/09/2007 a 22/09/2007
 09/09/2007 a 15/09/2007
 02/09/2007 a 08/09/2007
 26/08/2007 a 01/09/2007
 19/08/2007 a 25/08/2007
 12/08/2007 a 18/08/2007
 05/08/2007 a 11/08/2007
 29/07/2007 a 04/08/2007
 22/07/2007 a 28/07/2007
 15/07/2007 a 21/07/2007
 08/07/2007 a 14/07/2007
 01/07/2007 a 07/07/2007
 24/06/2007 a 30/06/2007
 17/06/2007 a 23/06/2007
 10/06/2007 a 16/06/2007
 03/06/2007 a 09/06/2007
 27/05/2007 a 02/06/2007
 20/05/2007 a 26/05/2007
 13/05/2007 a 19/05/2007
 06/05/2007 a 12/05/2007
 29/04/2007 a 05/05/2007
 22/04/2007 a 28/04/2007
 15/04/2007 a 21/04/2007
 08/04/2007 a 14/04/2007
 01/04/2007 a 07/04/2007
 25/03/2007 a 31/03/2007
 18/03/2007 a 24/03/2007
 04/03/2007 a 10/03/2007
 25/02/2007 a 03/03/2007
 11/02/2007 a 17/02/2007
 04/02/2007 a 10/02/2007
 28/01/2007 a 03/02/2007
 21/01/2007 a 27/01/2007
 14/01/2007 a 20/01/2007
 07/01/2007 a 13/01/2007
 31/12/2006 a 06/01/2007
 24/12/2006 a 30/12/2006
 17/12/2006 a 23/12/2006
 10/12/2006 a 16/12/2006
 03/12/2006 a 09/12/2006

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 Editora Casa das Musas
 Blog do Samarone Lima
 Blog da Gabriela Leite
 Blog do Tião
 Babelia
 Blog da Liana Aragão
 Blog da Danyella Proença
 Blog do Lauro
 Blog da Maria Moura
 Blog Lauravive
 UOL - O melhor conteúdo
 popfabi




RAZÃO-POESIA o pensamento poema www.casadasmusas.org.br
 


ANTONIO PORCHIA

"Para livrar-me do que vivo, vivo".

 

NOITE

A solidão do caminhão de lixo, quem quer acompanhar?

 

NOITE II

O cacau selvagem perfuma a noite. Ouvis as serrilhas das folhas de mântua? Ouvis o sumo do cheiro das estrelas?

 

NOITE III

Com as serrilhas da pétala, cortas a palavra Amor em duas. Num pedaço, caí o poço; noutro, a solidão. Um pedaço é cego, outro desesperação.

(Dizem ser o Amor o açougueiro do coração.)

 

FLORES AOS PORCOS

Jogar pétalas amarelas na face dos imbecis?

 

BEIJO ENTRE BANGUELAS

A suprema liberdade da língua!

 

ANTONIO PORCHIA

"Quem faz um paraíso de seu pão, de sua fome faz um inferno."

 

LIÇÃO DE CASA

Estar na sombra com pés encharcados de nuvens.

Metade de um charuto toscano confere guarida.

Beber sobejos de homens santos.

Lamber venenos azuis.

 

LIÇÃO DE CASA II

Cobri teu corpo com almas maturadas no umbu com mel. O gozo da aurora gera um sol alto, verde, repleto de vontades claras. Tricocheteas ensolações de amor. Costuras com carmim, bocas, beijos, o sangue vegetal. Vai homem, vai ao Alabama da Alma montado no Pégasus do Amor! 



Escrito por Gustavo de Castro às 11h00
[] [envie esta mensagem
]





SOL COM CHUVA

Ver um velho de boca aberta andando na rua, acalma.

 

AMOR

Quem ama de verdade

alguém

que se cuide!

 

DRUMMOND

"Ó canhestras e vagas croniquetas, quem vos salvou da poeira das gazetas?"

 

EIXO L

Do teu lado tem um largo compasso de lago artificial.

 

COMO SABER?

Nos teus calados planos

andas braços dados

com os enganos?

 

ANTONIO PORCHIA

Uma estrela cabe em minhas mãos, porque cabe em minhas mãos sua distância.

 

CIDADE DAS ÁRVORES

No reino de Arvorescendo, toma-se sete copos de alegria ao acordar, misturados com nescau de angústia leve, todo dia. Ali, os homens têm cabelos verdes, mãos com cascas e narinas de onde caem pétalas azuis, amarelo-magenta. A rainha-mãe está sempre deitada, de pernas abertas, espirrando chuva de pólens e lumens de luas crescentes. Estrangeiros vindos das cidades de pedra, lá, onde os homens dizem que o coração não pensa, adventem que no reino de Arvorescendo tudo frutificou. Para ser cidadão de Arvorescendo, exige-se tutuar na pele um arvorescer.

  

NA PRAÇA

Jogar dominó

para aprender

a desvirar pedras.

 

O QUE PREFERES?

Viver na Ilha da Fantasia ou no Continente das Certezas?

 

SEM VINHO

1.

Na economia das almas teus lucros não rendem assombração.

2.

Alguns homens deveriam ter nascido urubus.

3.

Alguém quer trocar aí sua fortuna por uma pedra azul marinho?

4.

Se Nietzsche tivesse nascido no Brasil, o niilismo seria um bigode

oxigenado.

5.

Na rua, uma aglomeração. Todos olham para a boca aberta do sujeito. Ele aponta com o dedo indicador para um dente e os outros, todos, olham. Pergunto a alguém o que está ocorrendo, e ele diz: "ele tá dizendo que na cárie dele tá nascendo uma muda de alfazema". Ninguém, claro, acreditou no homem, coitado. Se fosse ao menos um muda de agrião...

6.

Cada homem cala a seu modo. Conheço um que cala igual a chuva na janela. Conheço outro que cala na segunda-feira a semana inteira. Tem um velho lá na Aldeia que, quando cala, dizem, melhora o silêncio.

 

PARA OPHELIA & FERNANDO PESSOA

Nos flancos das olméias de antão, entre palmas, carvalhos e pinhões, morava Ophelia, a primeira-dama das letras portuguesas. Na sua biblioteca íntima, ela tentava melhorar Pessoa. No fundo, o seu sonho, canto mudo de grandeza, era esquecer a magia do não-amor, dito por Pessoa assim:

"fiquemos um perante o outro / como dois conhecidos desde a infância / que se amaram um pouco quando meninos / embora na vida adulta sigam outras afeições. / Conservado, no escaninho da alma, / a memória de seu amor antigo e inútil."

 

 



Escrito por Gustavo de Castro às 11h31
[] [envie esta mensagem
]



 
  [ Ver arquivos anteriores ]