Arquivos
 08/03/2009 a 14/03/2009
 01/03/2009 a 07/03/2009
 15/02/2009 a 21/02/2009
 01/02/2009 a 07/02/2009
 18/01/2009 a 24/01/2009
 04/01/2009 a 10/01/2009
 28/12/2008 a 03/01/2009
 21/12/2008 a 27/12/2008
 14/12/2008 a 20/12/2008
 07/12/2008 a 13/12/2008
 30/11/2008 a 06/12/2008
 23/11/2008 a 29/11/2008
 16/11/2008 a 22/11/2008
 09/11/2008 a 15/11/2008
 02/11/2008 a 08/11/2008
 26/10/2008 a 01/11/2008
 12/10/2008 a 18/10/2008
 05/10/2008 a 11/10/2008
 28/09/2008 a 04/10/2008
 21/09/2008 a 27/09/2008
 14/09/2008 a 20/09/2008
 07/09/2008 a 13/09/2008
 31/08/2008 a 06/09/2008
 24/08/2008 a 30/08/2008
 17/08/2008 a 23/08/2008
 03/08/2008 a 09/08/2008
 27/07/2008 a 02/08/2008
 20/07/2008 a 26/07/2008
 13/07/2008 a 19/07/2008
 06/07/2008 a 12/07/2008
 29/06/2008 a 05/07/2008
 22/06/2008 a 28/06/2008
 15/06/2008 a 21/06/2008
 08/06/2008 a 14/06/2008
 01/06/2008 a 07/06/2008
 25/05/2008 a 31/05/2008
 18/05/2008 a 24/05/2008
 11/05/2008 a 17/05/2008
 04/05/2008 a 10/05/2008
 27/04/2008 a 03/05/2008
 20/04/2008 a 26/04/2008
 13/04/2008 a 19/04/2008
 06/04/2008 a 12/04/2008
 30/03/2008 a 05/04/2008
 23/03/2008 a 29/03/2008
 16/03/2008 a 22/03/2008
 09/03/2008 a 15/03/2008
 02/03/2008 a 08/03/2008
 24/02/2008 a 01/03/2008
 17/02/2008 a 23/02/2008
 10/02/2008 a 16/02/2008
 03/02/2008 a 09/02/2008
 27/01/2008 a 02/02/2008
 20/01/2008 a 26/01/2008
 13/01/2008 a 19/01/2008
 06/01/2008 a 12/01/2008
 30/12/2007 a 05/01/2008
 23/12/2007 a 29/12/2007
 16/12/2007 a 22/12/2007
 09/12/2007 a 15/12/2007
 02/12/2007 a 08/12/2007
 25/11/2007 a 01/12/2007
 18/11/2007 a 24/11/2007
 11/11/2007 a 17/11/2007
 04/11/2007 a 10/11/2007
 21/10/2007 a 27/10/2007
 14/10/2007 a 20/10/2007
 07/10/2007 a 13/10/2007
 30/09/2007 a 06/10/2007
 23/09/2007 a 29/09/2007
 16/09/2007 a 22/09/2007
 09/09/2007 a 15/09/2007
 02/09/2007 a 08/09/2007
 26/08/2007 a 01/09/2007
 19/08/2007 a 25/08/2007
 12/08/2007 a 18/08/2007
 05/08/2007 a 11/08/2007
 29/07/2007 a 04/08/2007
 22/07/2007 a 28/07/2007
 15/07/2007 a 21/07/2007
 08/07/2007 a 14/07/2007
 01/07/2007 a 07/07/2007
 24/06/2007 a 30/06/2007
 17/06/2007 a 23/06/2007
 10/06/2007 a 16/06/2007
 03/06/2007 a 09/06/2007
 27/05/2007 a 02/06/2007
 20/05/2007 a 26/05/2007
 13/05/2007 a 19/05/2007
 06/05/2007 a 12/05/2007
 29/04/2007 a 05/05/2007
 22/04/2007 a 28/04/2007
 15/04/2007 a 21/04/2007
 08/04/2007 a 14/04/2007
 01/04/2007 a 07/04/2007
 25/03/2007 a 31/03/2007
 18/03/2007 a 24/03/2007
 04/03/2007 a 10/03/2007
 25/02/2007 a 03/03/2007
 11/02/2007 a 17/02/2007
 04/02/2007 a 10/02/2007
 28/01/2007 a 03/02/2007
 21/01/2007 a 27/01/2007
 14/01/2007 a 20/01/2007
 07/01/2007 a 13/01/2007
 31/12/2006 a 06/01/2007
 24/12/2006 a 30/12/2006
 17/12/2006 a 23/12/2006
 10/12/2006 a 16/12/2006
 03/12/2006 a 09/12/2006

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 Editora Casa das Musas
 Blog do Samarone Lima
 Blog da Gabriela Leite
 Blog do Tião
 Babelia
 Blog da Liana Aragão
 Blog da Danyella Proença
 Blog do Lauro
 Blog da Maria Moura
 Blog Lauravive
 UOL - O melhor conteúdo
 popfabi




RAZÃO-POESIA o pensamento poema www.casadasmusas.org.br
 


O EVANGELHO DA DESORDEM

parte XIII

CERTEZA CARTESIANA

 

Por via das certezas mantenha as dúvidas.

 

 

 

SOBRE AMORES PARALELOS

 

Paralelas se encontram no infinito.

 

Mas só lá.

 

 

CONSENTIMENTO DE MUNDO

 

Ser o não-ser do mundo.

 

Mas ser também o contrário desse não-ser.

 

 

POR UM TRIZ

 

Algumas palavras são mais silenciosas que o próprio silêncio.

 

Como as palavras das repartições,

dos escritórios, dos governos e leis.

 

Alguns silêncios, no entanto, falam mais:

 

a água do filtro,

a mão na febre,

a sopa no frio,

a língua no cio.

 

Em que momento palavra e silêncio se igualam?

Em que momento a fala da arte cala melhor?  

Em que momento balbuciar anuncia vulcões?

 

Não, nenhuma palavra, nenhuma imagem, nada

vale mais que mil silêncios.

 

Porque não há palavra alguma que faça falar  

o que não tem voz.

 

 

PRETO-VELHO NA PENUMBRA QUE ALUMIA

 

"Participar do mistério é converter-se em mistério".

 

 



Escrito por Gustavo de Castro às 23h03
[] [envie esta mensagem
]





PAUSA PARA O CAFEZINHO

Uma pausa para o cafezinho que ninguém aguenta de tanto "evangelho" e tanta "desordem". Esses escritos vieram como 'homenagem' à visita do papa Ratz ao Brasil, e depois prosseguiram. Vieram como homengagem, digo, para publicação, mas tenho estas besteirinhas guardadas em cadernos há mais de dez anos. Outras não, são novinhas, produzidas indagora, já que produzimos besteiras quase todos os dias.

1.

Na padaria, ninguém me dá notícias das cocadas. Elas desapareceram por completo. Sumiram junto com o vendedor de mel. Mas algo me reconforta: o homem das frutas, o carteiro e o mendigo continuam o mesmo.

2.

Nasce Bernardo, filho de Tião e Rejane. O que significa nascer nos tempos de hoje? - Seja bem vindo, belo menino, seja bem vindo, ao Apocalipse!!!

3.

Na esquina reencontro Nietzsche, que não via faz tempo. A última vez foi no deserto de Atacama. Lá, ele me olhou nos olhos com ar demoníaco, e disse: "A espiritualização da sexualidade se chama amor".

4.

Encontrei um amigo em René Char. Um dos nossos: le petit groupe. Maravilho-me de Furor e Mistério.

"Só os olhos são capazes de emitir um grito".

5.

Encontro João pela rua. Um ex-alcóolatra como diz. Como se curou? Diz ele que cheirando alcóol. "Parei de beber mas continuei cheirando", disse. Lembro que meu pai não bebia mas gostava também de cheirar alcóol. Chegava a encher as mãos e passar pelo rosto. Conheço quem gosta de cheirar o pé; outro que é vidrado em axilas. Muitos também gostam de cheirar cola de sapateiro. Tem gente que se mantém pelo nariz!

6.

Chandra é uma menina de treze anos que encontrou o pai no Orkut. Perguntando há vários anos pelo pai, e  ouvindo da mãe negativas, a menina foi à luta. Acontece que a mãe também já não sabia o paradeiro do homem, e aconselhou a menina a procurar no Orkut. E Chandra o encontrou. Conheci pai e filha outro dia. Uma história comovente. Dei a pauta para muitos jornalistas aqui de Brasília, mas ninguém se interessou muito. Ah, meus tempos de repórter...

7.

Para ir saindo do cafezinho e voltando, aos poucos (ou não ), ao clima do Evangelho:

 

Não é verdade que o bom dura pouco.

Mas é verdade que o ruim demora a passar.

 



Escrito por Gustavo de Castro às 08h35
[] [envie esta mensagem
]





O EVANGELHO DA DESORDEM

parte XII


O CEGUINHO NO LABIRINTO

O tempo, desgraçadamente, é real,
e eu, desgraçadamente, não sou Borges.



FORMAS

formas redondas convidam: ...voar!
formas quadradas incitam: ...ficar!
formas retas ensinam: ...seguir!

e a cada forma a sua força
e a cada linha o seu limite

na minha geometria, viver
é um design em riscos de vida

por isso é que desenho nuvens
corto o céu como quem cria
sóis mundos estrelas-guias

nas minhas voltas-retas
subo para descer
entro para sair
vivo por nada

só pra agradar
ir à casa
do entardecer.



Escrito por Gustavo de Castro às 11h56
[] [envie esta mensagem
]





O EVANGELHO DA DESORDEM parte XI

QUASE NADA 

 

Quando me sinto em mim

sou apenas uma leve película

de vento na pele.

 

Já quase não sou nada.

 

 

NADA CONSTA

 

E essa vontade de querer ter a expressão do nada?

 

É para expressar o eu do ser-ninguém?

 

E sobre o não-ser é fato mesmo que ele não é?

 

No balanço do caixa
da minh'alma
registro saldo:

"nada consta".



Escrito por Gustavo de Castro às 09h00
[] [envie esta mensagem
]



 
  [ Ver arquivos anteriores ]