Arquivos
 08/03/2009 a 14/03/2009
 01/03/2009 a 07/03/2009
 15/02/2009 a 21/02/2009
 01/02/2009 a 07/02/2009
 18/01/2009 a 24/01/2009
 04/01/2009 a 10/01/2009
 28/12/2008 a 03/01/2009
 21/12/2008 a 27/12/2008
 14/12/2008 a 20/12/2008
 07/12/2008 a 13/12/2008
 30/11/2008 a 06/12/2008
 23/11/2008 a 29/11/2008
 16/11/2008 a 22/11/2008
 09/11/2008 a 15/11/2008
 02/11/2008 a 08/11/2008
 26/10/2008 a 01/11/2008
 12/10/2008 a 18/10/2008
 05/10/2008 a 11/10/2008
 28/09/2008 a 04/10/2008
 21/09/2008 a 27/09/2008
 14/09/2008 a 20/09/2008
 07/09/2008 a 13/09/2008
 31/08/2008 a 06/09/2008
 24/08/2008 a 30/08/2008
 17/08/2008 a 23/08/2008
 03/08/2008 a 09/08/2008
 27/07/2008 a 02/08/2008
 20/07/2008 a 26/07/2008
 13/07/2008 a 19/07/2008
 06/07/2008 a 12/07/2008
 29/06/2008 a 05/07/2008
 22/06/2008 a 28/06/2008
 15/06/2008 a 21/06/2008
 08/06/2008 a 14/06/2008
 01/06/2008 a 07/06/2008
 25/05/2008 a 31/05/2008
 18/05/2008 a 24/05/2008
 11/05/2008 a 17/05/2008
 04/05/2008 a 10/05/2008
 27/04/2008 a 03/05/2008
 20/04/2008 a 26/04/2008
 13/04/2008 a 19/04/2008
 06/04/2008 a 12/04/2008
 30/03/2008 a 05/04/2008
 23/03/2008 a 29/03/2008
 16/03/2008 a 22/03/2008
 09/03/2008 a 15/03/2008
 02/03/2008 a 08/03/2008
 24/02/2008 a 01/03/2008
 17/02/2008 a 23/02/2008
 10/02/2008 a 16/02/2008
 03/02/2008 a 09/02/2008
 27/01/2008 a 02/02/2008
 20/01/2008 a 26/01/2008
 13/01/2008 a 19/01/2008
 06/01/2008 a 12/01/2008
 30/12/2007 a 05/01/2008
 23/12/2007 a 29/12/2007
 16/12/2007 a 22/12/2007
 09/12/2007 a 15/12/2007
 02/12/2007 a 08/12/2007
 25/11/2007 a 01/12/2007
 18/11/2007 a 24/11/2007
 11/11/2007 a 17/11/2007
 04/11/2007 a 10/11/2007
 21/10/2007 a 27/10/2007
 14/10/2007 a 20/10/2007
 07/10/2007 a 13/10/2007
 30/09/2007 a 06/10/2007
 23/09/2007 a 29/09/2007
 16/09/2007 a 22/09/2007
 09/09/2007 a 15/09/2007
 02/09/2007 a 08/09/2007
 26/08/2007 a 01/09/2007
 19/08/2007 a 25/08/2007
 12/08/2007 a 18/08/2007
 05/08/2007 a 11/08/2007
 29/07/2007 a 04/08/2007
 22/07/2007 a 28/07/2007
 15/07/2007 a 21/07/2007
 08/07/2007 a 14/07/2007
 01/07/2007 a 07/07/2007
 24/06/2007 a 30/06/2007
 17/06/2007 a 23/06/2007
 10/06/2007 a 16/06/2007
 03/06/2007 a 09/06/2007
 27/05/2007 a 02/06/2007
 20/05/2007 a 26/05/2007
 13/05/2007 a 19/05/2007
 06/05/2007 a 12/05/2007
 29/04/2007 a 05/05/2007
 22/04/2007 a 28/04/2007
 15/04/2007 a 21/04/2007
 08/04/2007 a 14/04/2007
 01/04/2007 a 07/04/2007
 25/03/2007 a 31/03/2007
 18/03/2007 a 24/03/2007
 04/03/2007 a 10/03/2007
 25/02/2007 a 03/03/2007
 11/02/2007 a 17/02/2007
 04/02/2007 a 10/02/2007
 28/01/2007 a 03/02/2007
 21/01/2007 a 27/01/2007
 14/01/2007 a 20/01/2007
 07/01/2007 a 13/01/2007
 31/12/2006 a 06/01/2007
 24/12/2006 a 30/12/2006
 17/12/2006 a 23/12/2006
 10/12/2006 a 16/12/2006
 03/12/2006 a 09/12/2006

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 Editora Casa das Musas
 Blog do Samarone Lima
 Blog da Gabriela Leite
 Blog do Tião
 Babelia
 Blog da Liana Aragão
 Blog da Danyella Proença
 Blog do Lauro
 Blog da Maria Moura
 Blog Lauravive
 UOL - O melhor conteúdo
 popfabi




RAZÃO-POESIA o pensamento poema www.casadasmusas.org.br
 


TRÊS FORMAS DE ABAIXAR

A primeira forma é abaixar para cheirar a flor. Fechar os olhos antes e apalpar a narina nas pétalas, semelhante a esfregar um vento noutro. 

A segunda forma de abaixar é abaixar a crista. "Menos, meu amigo, 'menos', que não estás com esta bola toda." Baixar a crista porque no terreiro da Vida cantam outros doze animais. (E entre eles está o burro. O famoso jumento).  

De vez em quando, quando o burro vai dar coice, declina as orelhas. Quem então aguenta o coice da Vida, não despreza o difícil e as solidões. Cai, levanta e vai pra cima do bicho como quem quer cavalgar mesmo assim.

A terceira forma de abaixar é o exercício do abismo: de vez em quando, observar vendavais. Ficar de pé no abismo, bem na beirinha, bem na beirinha. Depois, com a boca, soprar bem muito, soprar, só para ver o que sai de nós realmente: vento nada suspiro...

(Ainda prefiro os suspiros às cocadas).   



Escrito por Gustavo de Castro às 20h00
[] [envie esta mensagem
]





O ALEGRE-TRISTE

A sentir a inocência vi que são muitas: existem as inocências pela fé: são os que acreditam em alguma coisa; outros são inocentes por não terem fé nenhuma, enquanto alguns são inocentes apenas por não terem coragem de opção. Existem os que são apenas pelo fato da graça-de-rir-como-criança, mesmo depois de adulto. Foi o que escrevi dias atrás.

Mas escrevi hoje para falar de um outro tipo.

Esse tipo de inocente não sei ainda como nominar. Ele é meio-alegre-meio-triste; acho até que vê graça na sua desgraça. Gosta de olhar o sol se pôr pelo fato de lembrar as manhãs que viu nascer.

É irmão dos que sofrem sendo capaz de porres memoráveis. Bebe cachaça achando que é água. Coisa de gente inocente.

Acho que esta raça de inocentes conhece um pouco o mal também, sabe da escuridão dos estados de infância.

Talvez seja do que este tipo de inocência deve ser chamado: inocência alegre-triste, menina-velha, crepuscular, ingenuamente "cachaceira". 



Escrito por Gustavo de Castro às 16h46
[] [envie esta mensagem
]



 
  [ Ver arquivos anteriores ]