Arquivos
 08/03/2009 a 14/03/2009
 01/03/2009 a 07/03/2009
 15/02/2009 a 21/02/2009
 01/02/2009 a 07/02/2009
 18/01/2009 a 24/01/2009
 04/01/2009 a 10/01/2009
 28/12/2008 a 03/01/2009
 21/12/2008 a 27/12/2008
 14/12/2008 a 20/12/2008
 07/12/2008 a 13/12/2008
 30/11/2008 a 06/12/2008
 23/11/2008 a 29/11/2008
 16/11/2008 a 22/11/2008
 09/11/2008 a 15/11/2008
 02/11/2008 a 08/11/2008
 26/10/2008 a 01/11/2008
 12/10/2008 a 18/10/2008
 05/10/2008 a 11/10/2008
 28/09/2008 a 04/10/2008
 21/09/2008 a 27/09/2008
 14/09/2008 a 20/09/2008
 07/09/2008 a 13/09/2008
 31/08/2008 a 06/09/2008
 24/08/2008 a 30/08/2008
 17/08/2008 a 23/08/2008
 03/08/2008 a 09/08/2008
 27/07/2008 a 02/08/2008
 20/07/2008 a 26/07/2008
 13/07/2008 a 19/07/2008
 06/07/2008 a 12/07/2008
 29/06/2008 a 05/07/2008
 22/06/2008 a 28/06/2008
 15/06/2008 a 21/06/2008
 08/06/2008 a 14/06/2008
 01/06/2008 a 07/06/2008
 25/05/2008 a 31/05/2008
 18/05/2008 a 24/05/2008
 11/05/2008 a 17/05/2008
 04/05/2008 a 10/05/2008
 27/04/2008 a 03/05/2008
 20/04/2008 a 26/04/2008
 13/04/2008 a 19/04/2008
 06/04/2008 a 12/04/2008
 30/03/2008 a 05/04/2008
 23/03/2008 a 29/03/2008
 16/03/2008 a 22/03/2008
 09/03/2008 a 15/03/2008
 02/03/2008 a 08/03/2008
 24/02/2008 a 01/03/2008
 17/02/2008 a 23/02/2008
 10/02/2008 a 16/02/2008
 03/02/2008 a 09/02/2008
 27/01/2008 a 02/02/2008
 20/01/2008 a 26/01/2008
 13/01/2008 a 19/01/2008
 06/01/2008 a 12/01/2008
 30/12/2007 a 05/01/2008
 23/12/2007 a 29/12/2007
 16/12/2007 a 22/12/2007
 09/12/2007 a 15/12/2007
 02/12/2007 a 08/12/2007
 25/11/2007 a 01/12/2007
 18/11/2007 a 24/11/2007
 11/11/2007 a 17/11/2007
 04/11/2007 a 10/11/2007
 21/10/2007 a 27/10/2007
 14/10/2007 a 20/10/2007
 07/10/2007 a 13/10/2007
 30/09/2007 a 06/10/2007
 23/09/2007 a 29/09/2007
 16/09/2007 a 22/09/2007
 09/09/2007 a 15/09/2007
 02/09/2007 a 08/09/2007
 26/08/2007 a 01/09/2007
 19/08/2007 a 25/08/2007
 12/08/2007 a 18/08/2007
 05/08/2007 a 11/08/2007
 29/07/2007 a 04/08/2007
 22/07/2007 a 28/07/2007
 15/07/2007 a 21/07/2007
 08/07/2007 a 14/07/2007
 01/07/2007 a 07/07/2007
 24/06/2007 a 30/06/2007
 17/06/2007 a 23/06/2007
 10/06/2007 a 16/06/2007
 03/06/2007 a 09/06/2007
 27/05/2007 a 02/06/2007
 20/05/2007 a 26/05/2007
 13/05/2007 a 19/05/2007
 06/05/2007 a 12/05/2007
 29/04/2007 a 05/05/2007
 22/04/2007 a 28/04/2007
 15/04/2007 a 21/04/2007
 08/04/2007 a 14/04/2007
 01/04/2007 a 07/04/2007
 25/03/2007 a 31/03/2007
 18/03/2007 a 24/03/2007
 04/03/2007 a 10/03/2007
 25/02/2007 a 03/03/2007
 11/02/2007 a 17/02/2007
 04/02/2007 a 10/02/2007
 28/01/2007 a 03/02/2007
 21/01/2007 a 27/01/2007
 14/01/2007 a 20/01/2007
 07/01/2007 a 13/01/2007
 31/12/2006 a 06/01/2007
 24/12/2006 a 30/12/2006
 17/12/2006 a 23/12/2006
 10/12/2006 a 16/12/2006
 03/12/2006 a 09/12/2006

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 Editora Casa das Musas
 Blog do Samarone Lima
 Blog da Gabriela Leite
 Blog do Tião
 Babelia
 Blog da Liana Aragão
 Blog da Danyella Proença
 Blog do Lauro
 Blog da Maria Moura
 Blog Lauravive
 UOL - O melhor conteúdo
 popfabi




RAZÃO-POESIA o pensamento poema www.casadasmusas.org.br
 


FORÇA CALMA

Escorastes os olhos em dois pilares calmos

de silêncio e de alegria.

 

Depusestes tua mão sobre terra chuviscada

e passastes a entender

o que é silêncio e alegria.

 

Por fim, o canto infantil

retornou

dó ré mirastes silêncio e alegria.

 

 

 

 

 

HILDA

 

Hilda

Espirrou:

Hilst Hilst!

- Saúde, Hilda!



Escrito por Gustavo de Castro às 13h12
[] [envie esta mensagem
]





FUI VER O AMOR

Fui ver o Amor:

 

Ele estava pendurado na parede

repleto de fotos

lembranças

perdas.

 

Dizem que o amor é só perdas.

Duvido que sim.

 

Perdemos tanto que ganhamos a Vida.

 

 

 

POEMA PARA A TARDE DE UM HOMEM

 

Seis vibrações sinceras

garantem a tarde de um homem.

 

Pois que contem:

um olhar puro

dois filamentos de luz

três falas caladas

quatro mãos de criança

cinco goles dágua

seis sussuros a si mesmo.

 

Seis vibrações sinceras

bastam para a tarde um homem.

 

 



Escrito por Gustavo de Castro às 10h50
[] [envie esta mensagem
]





ACARICIAR TEMPORAIS

Apostas na carícia dos temporais?!

Para que possas imantar teu sossego de verde e de violeta, aquele verde-violeta que desagoniza o peso do corpo, que faz tua nau suspirar a força adocicada dos fortes, apostas na carícia dos temporais?!

A cada manhã, deixa teu sopro enfermo e abraça as nuvens que cimentam teu sonho. Faz da tua Aurora o motivo de superação. Acaricia a tempestade sem medo dos raios, sem temor dos ventos ou das enxurradas, sem medo de nada!

Ergue teu cenho, suspende, eleva teus chifres-sonhos, espia tua altura, vês que ainda não fostes suficientemente longe? 

Conforme prometestes a ti mesmo, navega destemido a procurar as terras que habitam teus sonhos, como quem não teme se erguer na ponta dos pés e, dali, voar...

Passa a mão no raio, toca com tua doçura o estrondo ribombante dos temporais.

És suficientemente grande para acariciar as tempestades?!   



Escrito por Gustavo de Castro às 17h09
[] [envie esta mensagem
]



 
  [ Ver arquivos anteriores ]