Arquivos
 08/03/2009 a 14/03/2009
 01/03/2009 a 07/03/2009
 15/02/2009 a 21/02/2009
 01/02/2009 a 07/02/2009
 18/01/2009 a 24/01/2009
 04/01/2009 a 10/01/2009
 28/12/2008 a 03/01/2009
 21/12/2008 a 27/12/2008
 14/12/2008 a 20/12/2008
 07/12/2008 a 13/12/2008
 30/11/2008 a 06/12/2008
 23/11/2008 a 29/11/2008
 16/11/2008 a 22/11/2008
 09/11/2008 a 15/11/2008
 02/11/2008 a 08/11/2008
 26/10/2008 a 01/11/2008
 12/10/2008 a 18/10/2008
 05/10/2008 a 11/10/2008
 28/09/2008 a 04/10/2008
 21/09/2008 a 27/09/2008
 14/09/2008 a 20/09/2008
 07/09/2008 a 13/09/2008
 31/08/2008 a 06/09/2008
 24/08/2008 a 30/08/2008
 17/08/2008 a 23/08/2008
 03/08/2008 a 09/08/2008
 27/07/2008 a 02/08/2008
 20/07/2008 a 26/07/2008
 13/07/2008 a 19/07/2008
 06/07/2008 a 12/07/2008
 29/06/2008 a 05/07/2008
 22/06/2008 a 28/06/2008
 15/06/2008 a 21/06/2008
 08/06/2008 a 14/06/2008
 01/06/2008 a 07/06/2008
 25/05/2008 a 31/05/2008
 18/05/2008 a 24/05/2008
 11/05/2008 a 17/05/2008
 04/05/2008 a 10/05/2008
 27/04/2008 a 03/05/2008
 20/04/2008 a 26/04/2008
 13/04/2008 a 19/04/2008
 06/04/2008 a 12/04/2008
 30/03/2008 a 05/04/2008
 23/03/2008 a 29/03/2008
 16/03/2008 a 22/03/2008
 09/03/2008 a 15/03/2008
 02/03/2008 a 08/03/2008
 24/02/2008 a 01/03/2008
 17/02/2008 a 23/02/2008
 10/02/2008 a 16/02/2008
 03/02/2008 a 09/02/2008
 27/01/2008 a 02/02/2008
 20/01/2008 a 26/01/2008
 13/01/2008 a 19/01/2008
 06/01/2008 a 12/01/2008
 30/12/2007 a 05/01/2008
 23/12/2007 a 29/12/2007
 16/12/2007 a 22/12/2007
 09/12/2007 a 15/12/2007
 02/12/2007 a 08/12/2007
 25/11/2007 a 01/12/2007
 18/11/2007 a 24/11/2007
 11/11/2007 a 17/11/2007
 04/11/2007 a 10/11/2007
 21/10/2007 a 27/10/2007
 14/10/2007 a 20/10/2007
 07/10/2007 a 13/10/2007
 30/09/2007 a 06/10/2007
 23/09/2007 a 29/09/2007
 16/09/2007 a 22/09/2007
 09/09/2007 a 15/09/2007
 02/09/2007 a 08/09/2007
 26/08/2007 a 01/09/2007
 19/08/2007 a 25/08/2007
 12/08/2007 a 18/08/2007
 05/08/2007 a 11/08/2007
 29/07/2007 a 04/08/2007
 22/07/2007 a 28/07/2007
 15/07/2007 a 21/07/2007
 08/07/2007 a 14/07/2007
 01/07/2007 a 07/07/2007
 24/06/2007 a 30/06/2007
 17/06/2007 a 23/06/2007
 10/06/2007 a 16/06/2007
 03/06/2007 a 09/06/2007
 27/05/2007 a 02/06/2007
 20/05/2007 a 26/05/2007
 13/05/2007 a 19/05/2007
 06/05/2007 a 12/05/2007
 29/04/2007 a 05/05/2007
 22/04/2007 a 28/04/2007
 15/04/2007 a 21/04/2007
 08/04/2007 a 14/04/2007
 01/04/2007 a 07/04/2007
 25/03/2007 a 31/03/2007
 18/03/2007 a 24/03/2007
 04/03/2007 a 10/03/2007
 25/02/2007 a 03/03/2007
 11/02/2007 a 17/02/2007
 04/02/2007 a 10/02/2007
 28/01/2007 a 03/02/2007
 21/01/2007 a 27/01/2007
 14/01/2007 a 20/01/2007
 07/01/2007 a 13/01/2007
 31/12/2006 a 06/01/2007
 24/12/2006 a 30/12/2006
 17/12/2006 a 23/12/2006
 10/12/2006 a 16/12/2006
 03/12/2006 a 09/12/2006

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 Editora Casa das Musas
 Blog do Samarone Lima
 Blog da Gabriela Leite
 Blog do Tião
 Babelia
 Blog da Liana Aragão
 Blog da Danyella Proença
 Blog do Lauro
 Blog da Maria Moura
 Blog Lauravive
 UOL - O melhor conteúdo
 popfabi




RAZÃO-POESIA o pensamento poema www.casadasmusas.org.br
 


POEMA PARA UMA DESCONHECIDA

O pedaço da Azaléia gritava: "pois que sois o quinhão arremessado à vida!" - "pois que sois o quinhão arremessado à vida!"

Foi quando os seixos de azedume apareceram de repente. A pata-de-vaca em flor, o pinhão-roxo, a alfazema, a carqueja, todos gritavam:

Sois chá verde tarde
sois chá mate sempre!

E ninguém entendia nada.

Os que gargarejavam rosas
ao gengibre e mel
lançavam-se lancinantes
à cata de avelâs.

E ninguém entendia nada.

Por fim, foi a folhagem fresca
quem gritou: "botão flor botão
és quinhão arremessado à vida!"

E ninguém entendia nada.


Escrito por Gustavo de Castro às 15h42
[] [envie esta mensagem
]





CIGARRO ÓRFÃO

Tenho dificuldade de mundos:

arrasto sofás, aprumo piões,

lavo a louça de três feições,

arrumo a cama mijada.

 

Tenho tristeza de mundos:

deixo os mortos em paz,

confiro o jogo errado da loteria,

colho silêncios de orfanatos.

 

Tenho esperança de mundos:

ensaio um poema longo,

arrasto pés nas nuvens,

                                      acendo

cigarro órfão na boca valente.



Escrito por Gustavo de Castro às 16h11
[] [envie esta mensagem
]





O QUE AS COISAS TÊM DE POESIA

A forma de falar sobre uma coisa

é o que faz a coisa ser.

 

Assim se falamos pedra

pedra será. Se falamos dor

dor será.

 

Mas, em poesia,

se falamos pedra,

falamos dor,

se falamos dor,

podemos estar falando

é de amor.

 

 

DESPERTAR NA MADRUGA

 

Gosto quando isso acontece comigo: acordar no meio da noite com palavras ocas na cabeça. E escrever o que vem do fundo do sono, igual a quem ouve velhos locutores de rádio na madrugada.

 

O poema que me acordou na noite é de rima infantil. Pois que venha, linda criança.

 

A cela prende

a nuvem

em seu voar.

 

Mas a nuvem

força a grade:

tá prestes

a se safar.



Escrito por Gustavo de Castro às 17h53
[] [envie esta mensagem
]



 
  [ Ver arquivos anteriores ]