Arquivos
 08/03/2009 a 14/03/2009
 01/03/2009 a 07/03/2009
 15/02/2009 a 21/02/2009
 01/02/2009 a 07/02/2009
 18/01/2009 a 24/01/2009
 04/01/2009 a 10/01/2009
 28/12/2008 a 03/01/2009
 21/12/2008 a 27/12/2008
 14/12/2008 a 20/12/2008
 07/12/2008 a 13/12/2008
 30/11/2008 a 06/12/2008
 23/11/2008 a 29/11/2008
 16/11/2008 a 22/11/2008
 09/11/2008 a 15/11/2008
 02/11/2008 a 08/11/2008
 26/10/2008 a 01/11/2008
 12/10/2008 a 18/10/2008
 05/10/2008 a 11/10/2008
 28/09/2008 a 04/10/2008
 21/09/2008 a 27/09/2008
 14/09/2008 a 20/09/2008
 07/09/2008 a 13/09/2008
 31/08/2008 a 06/09/2008
 24/08/2008 a 30/08/2008
 17/08/2008 a 23/08/2008
 03/08/2008 a 09/08/2008
 27/07/2008 a 02/08/2008
 20/07/2008 a 26/07/2008
 13/07/2008 a 19/07/2008
 06/07/2008 a 12/07/2008
 29/06/2008 a 05/07/2008
 22/06/2008 a 28/06/2008
 15/06/2008 a 21/06/2008
 08/06/2008 a 14/06/2008
 01/06/2008 a 07/06/2008
 25/05/2008 a 31/05/2008
 18/05/2008 a 24/05/2008
 11/05/2008 a 17/05/2008
 04/05/2008 a 10/05/2008
 27/04/2008 a 03/05/2008
 20/04/2008 a 26/04/2008
 13/04/2008 a 19/04/2008
 06/04/2008 a 12/04/2008
 30/03/2008 a 05/04/2008
 23/03/2008 a 29/03/2008
 16/03/2008 a 22/03/2008
 09/03/2008 a 15/03/2008
 02/03/2008 a 08/03/2008
 24/02/2008 a 01/03/2008
 17/02/2008 a 23/02/2008
 10/02/2008 a 16/02/2008
 03/02/2008 a 09/02/2008
 27/01/2008 a 02/02/2008
 20/01/2008 a 26/01/2008
 13/01/2008 a 19/01/2008
 06/01/2008 a 12/01/2008
 30/12/2007 a 05/01/2008
 23/12/2007 a 29/12/2007
 16/12/2007 a 22/12/2007
 09/12/2007 a 15/12/2007
 02/12/2007 a 08/12/2007
 25/11/2007 a 01/12/2007
 18/11/2007 a 24/11/2007
 11/11/2007 a 17/11/2007
 04/11/2007 a 10/11/2007
 21/10/2007 a 27/10/2007
 14/10/2007 a 20/10/2007
 07/10/2007 a 13/10/2007
 30/09/2007 a 06/10/2007
 23/09/2007 a 29/09/2007
 16/09/2007 a 22/09/2007
 09/09/2007 a 15/09/2007
 02/09/2007 a 08/09/2007
 26/08/2007 a 01/09/2007
 19/08/2007 a 25/08/2007
 12/08/2007 a 18/08/2007
 05/08/2007 a 11/08/2007
 29/07/2007 a 04/08/2007
 22/07/2007 a 28/07/2007
 15/07/2007 a 21/07/2007
 08/07/2007 a 14/07/2007
 01/07/2007 a 07/07/2007
 24/06/2007 a 30/06/2007
 17/06/2007 a 23/06/2007
 10/06/2007 a 16/06/2007
 03/06/2007 a 09/06/2007
 27/05/2007 a 02/06/2007
 20/05/2007 a 26/05/2007
 13/05/2007 a 19/05/2007
 06/05/2007 a 12/05/2007
 29/04/2007 a 05/05/2007
 22/04/2007 a 28/04/2007
 15/04/2007 a 21/04/2007
 08/04/2007 a 14/04/2007
 01/04/2007 a 07/04/2007
 25/03/2007 a 31/03/2007
 18/03/2007 a 24/03/2007
 04/03/2007 a 10/03/2007
 25/02/2007 a 03/03/2007
 11/02/2007 a 17/02/2007
 04/02/2007 a 10/02/2007
 28/01/2007 a 03/02/2007
 21/01/2007 a 27/01/2007
 14/01/2007 a 20/01/2007
 07/01/2007 a 13/01/2007
 31/12/2006 a 06/01/2007
 24/12/2006 a 30/12/2006
 17/12/2006 a 23/12/2006
 10/12/2006 a 16/12/2006
 03/12/2006 a 09/12/2006

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 Editora Casa das Musas
 Blog do Samarone Lima
 Blog da Gabriela Leite
 Blog do Tião
 Babelia
 Blog da Liana Aragão
 Blog da Danyella Proença
 Blog do Lauro
 Blog da Maria Moura
 Blog Lauravive
 UOL - O melhor conteúdo
 popfabi




RAZÃO-POESIA o pensamento poema www.casadasmusas.org.br
 


CIÊNCIAS HUMANAS

Conhecer alguém é como cortar uma cebola.

Equivale a penetrar camadas de lágrimas.



Escrito por Gustavo de Castro às 01h07
[] [envie esta mensagem
]





HESÍODO

Tudo o que  é belo

ondula.

 

Vide o mar

e as mulheres.



Escrito por Gustavo de Castro às 15h44
[] [envie esta mensagem
]





SOUZA FUTEBOL CLUBE

Manel, como todos o chamamos, tem 12 anos e um ídolo: Souza, jogador do América Futebol Clube, de Natal. Desde que cheguei aqui, Manel me fala do futebol como se falasse da Vida. Os lances, as expectativas, as derrotas, as vitórias remotas para quem está em último lugar na Série B, do Campeonato Brasileiro. Manel assiste cada jogo com os amigos da escola e os velhos do bairro. Esta semana, ele trocou seis dvd’s por uma camisa oficial do América com o amigo João Vitor. Manel, como bom torcedor, conhece os jogadores, as posições, a lógica das forças e dos deuses que governam o futebol. Sexta-feira passada, de surpresa, levei-o até o Centro de Treinamento do América, para ver o seu time jogar antes do clássico ABC x América. Quando ele chegou ao CT do América, deu gosto de ver a sua felicidade!

 

Por duas horas, assistimos todo o treino. E Souza lá, pertinho do campo. Manel, com a maturidade dos 12 anos, me olhou nos olhos e disse: “Não tenho coragem de chegar perto dele”. Entendi logo a estranha força magnética que os ídolos têm: igual a de um atrator estranho. Esperamos então Souza terminar o treino, dar um monte de entrevistas, falar com um monte de gente. Quando ele ensaiou sair de campo, eu berrei da arquibanca: “Souza!!!...” Ele olhou, fiz sinal de autógrafo pro menino. Ele disse com voz firme: “Peraí, que volto já”. E foi para o vestiário dar outra entrevista.

 

Manel, disse, “ele é legal, ele vai voltar; ele vai voltar...”.  Esperamos dez, vinte minutos, mas Souza não voltou. Os olhos de Manel mudaram imediatamente. Algo nele oscilava entre acreditar e não-acreditar no ídolo. Era como se o sonho e a realidade travassem, naquele momento, uma partida decisiva. O menino então falou: “Vamos atrás dele!”. 

 

Como o time estava concentrado para o jogo, fomos até a sede, ao lado do campo. De fora, podíamos ouvir os chuveiros a toda. Esperamos mais dez, vinte minutos e nada. Manel tinha consigo a caneta e a tal camisa oficial que havia trocado por seis dvd's. Perguntei se ele não queria desistir, ele disse que não, e ainda me olhou como se eu não tivesse esperança. Dali a pouco  - como toda espera chega ao fim -, lá vem Souza, manso, caminhando solitariamente. Os olhos de Manel rebrilharam. E ele disse: "Eu não falei!"

 

Quem estava diante dele agora não era José Ivanaldo de Souza, 34 anos, natural de Assu, no Rio Grande do Norte. Quem estava lá não era o ex-jogador do Corintians, do Flamengo, da Seleção, mas o ídolo de uma geração de potiguares. Notei logo que Souza tinha plena consciência disso. Com calma, pediu logo desculpas por ter esquecido de retornar, depois, depositou ao chão a chuteira e o uniforme de treino. Sem demonstrar pressa ou afobamento, apertou minha mão e a de Manel. Olhou para o menino com carinho e assinou sua camisa: “Manel abraços Souza”. Pegou a chuteira e a camisa de treino no chão e foi embora, dizendo: "Valeu pelo carinho". Manel respondeu: "Valeu, também!"

 

O menino ficou mudo o resto do caminho de volta. Eu também.

 

Ontem, sábado (12), pode ter sido o último jogo de Souza como profissional. Na rodada passada, ele agrediu um árbitro de futebol e deve pegar 500 dias de suspensão. Se isso acontecer, como declarou, larga o futebol.

 

Todo jogo tem direito a seu apito final. Alguns instantes da vida são penaltis inesquecíveis. Mas, para Souza, creio que não há com o que se preocupar. Nada pode ser mais gratificante e generoso do que acender o brilho nos olhos de um menino, do que trazer o coração de milhares de pessoas à boca ou emudecer uma geração inteira de alegria!

 

 

Para Souza, que compreendeu o que é ser criança.

 



Escrito por Gustavo de Castro às 12h35
[] [envie esta mensagem
]



 
  [ Ver arquivos anteriores ]